PESSOAS SINGULARES

Erros a evitar

Escrito por WebMaster ligado .

O processo de endividamento tem o seu início quando se recorre a empréstimos para complementar compromissos assumidos e as despesas básicas. Muitos cidadãos são vítimas dos mesmos erros no que toca ao dinheiro. Reconhecer e eliminar estes erros é o primeiro passo para a independência financeira.

O dinheiro é uma parte essencial da vida moderna. No entanto, precisamos dar-lhe o seu devido lugar e não deve ser o nosso único objetivo pois é um meio para um fim, e não um fim em si. Se  dedicar sua vida inteira para juntar dinheiro, vai perder a sua vida e tudo o que esta tem para  oferecer. No outro extremo, se  ignorar o mínimo de prudência financeira pode ficar numa situação de endividamento activo, e perder a qulidade de vida.

Não acredite que as coisas serão melhores amanhã em actuar..em regra, quando as coisas começam ou estão mal não vão melhorar pois, o incumprimento, obriga ao pagamento de juros, penalidades etc. que não permite a retoma e regularização do crédito em situação normais de rendimentos constantes.

Famílias endividadas

Escrito por WebMaster ligado .

Endividamento das famílias portuguesas é o segundo mais elevado da Europa. Num relatório do Banco de Portugal (BdP) divulgado esta terça-feira, a instituição alerta para a ameaça à banca do crédito mal parado, em constante subida em Portugal.

Ainda segundo o documento do BdP o endividamento das famílias portuguesas é o segundo mais elevado da Europa.

O Banco de Portugal (BdP) considera que os bancos portugueses enfrentam um conjunto de riscos especialmente intensos devido à recessão que afecta o país. O relatório de Estabilidade Financeira, publicado esta tarde, destaca a subida esperada do crédito mal parado que pode pressionar a solvabilidade do sistema bancário.

O BdP estima que o crédito mal parado assuma uma dimensão superior à de recessões do passado. Uma consequência da quebra da actividade económica que vai implicar um maior risco de crédito.

As empresas, actualmente com níveis de endividamento recorde, vão ter mais dificuldade em cumprir os contratos assumidos com a banca. O BdP estima ainda que o incumprimento aumente 10 por cento este ano, face a 2008.

O endividamento

Escrito por webmaster ligado .

Parar o  endividamento Quando as dívidas são muitas, a entrega da casa ao banco não resolve o problema, não há perspetivas de a situação financeira se alterar a curto prazo nem existem mais bens para penhorar, só resta ao devedor pedir a declaração de insolvência.

Este processo só pode ser requerido junto do tribunal requisitando os serviços de um advogado. Caso não tenha meios económicos para contratar um advogado, poderá recorrer ao Apoio Judiciário junto dos serviços de atendimento da Segurança Social.

Um processo de insolvência pode evitar que uma pessoa sobre-endividada fique para sempre com dívidas que não consegue pagar e recuperar financeiramente. Mas tenha em atenção que esta solução não é fácil! É um processo muito complexo, onde todos os seus bens serão apreendidos, será privado da administração dos mesmos e a sua independência financeira ficará fortemente condicionada.